King’s Lynn 05/08/2016

Hello There, Alan

Seus gatos são lindos! Dois ruivos e uma donzela. E gostei das variações dos nomes deles. Jujubalandia! Hahaha.A Vênus é a minha primeira gata EVER, já tive 23 cachorros, nunca gato. Sim, vinte e três cachorros! Tivemos que mudar para um sítio pra dar conta de tanto cachorro, até no chiqueiro tinha cachorros.

Não sei se a Vênus ainda atende pelo nome ou se entende o nome dela. Ou eu, talvez, não a chame tanto pelo nome, mas já tem um monte de apelidos: monstrinha, transcat, paçoca, the monha… pode ser ruim pra ela se acostumar com tantos nomes. Não sei. E quero um gato preto de olhos amarelos justamente porque vi um vídeo da Cristina Cairo explicando os poderes dos gatos. Gatos pretos estimulam o auto conhecimento e afasta as energias ou influencias negativas. Eles colocam medo no medo.

DSC_0613.JPG

Eu estou procurando por uma casa maior pra alugar. Quero espaço pra gatinha, moro num apartamento Studio e é uma gaiolinha confortável. E se rolar, ter uma horta também. E plantar flores para a primavera. A primavera aqui é tão apaixonante. Eu fico besta olhando pro mato todo colorido  com plantas de todo o tipo. Sua samambaia é linda. Nunca vi samambaia aqui, só vi samambaia selvagem que é bonita, porém não tem esse efeito peruca cabeluda que as gays amam tanto.

DSC_0105.JPG

DSC_0014

Fotos: campos de alfazema (acho) e arbustos na estrada a caminho do trabalho.


Pelo visto, você dá nome pra tudo, não? Maria Carlota, me lembrou a empregada da Maria do Bairro hahaha!

Carlota

Você parece ser um rapaz bem espiritualizado, não sei se é só impressão, acho que não. Faz quanto tempo que você pratica umbandismo? Como foi seu primeiro contato com a Umbanda? Rola iniciação? Eu não tenho religião. Tenho uma mistureba de crenças, isso sim. Há mais ou menos seis anos venho buscando respostas sobre a minha pessoa e a pequena parte do universo que reside em mim. Não sou ateu. Busco espiritualidade em várias fontes. Eu direciono orações e agradecimentos ao meu eu maior ou a fonte ou o universo consciente. E eu acredito em maluquices de ETs e teorias da conspiração e anjos e sereias e realidades paralelas e modificações genéticas. (se esse texto fosse um telefone estaria dizendo: TU TU TU TU agora, bem sei) Nem sei como expressar essas coisas num texto sem parecer doido.

Sobre Jogos

Power Stone (ou Power Stoned para os malokas) é o jogo mais divertido para se jogar chapado e com amigos. Você se torna a pessoa mais competitiva do mundo! Um quebra pau garantido. Eu não sou fã de jogos de luta também, gosto do Marvel vs Capcom só porque tem os x-men. E jogos em primeira pessoa não me agrada muito. Já joguei alguns battlefield e call of duty, mas me atrapalha um pouco.

DREAMCAST--Power Stone 2_Apr13 20_11_07.png

Um print do Power Stone(d)

Quando joguei Tomb Raider pela primeira vez,  eu me caguei de medo. Era o Tomb Raider 2, um demo pro ps1. Eu tinha medo de sair da água pra matar os tigres. E no tomb raider 3 eu odiava aquelas malditas cobras que saltavam do meio do nada pra te atacar. E os macacos dando a elza nos kit médicos. Gosto de comparar os jogos clássicos com os de agora, antes usávamos bem mais a imaginação para complementar os gráficos. E mesmo aqueles blocos quadrados gigantes e pontudos pareciam ser mesmo montanhas e pedras. Good times.

tombraider.jpg

Sobre a vinhadagem

12728789_1702767516601676_690744490798374375_nDescobri não gostar de meninas muito cedo, sete anos de idade pra ser exato. Lembro de ir no parque aquático com a família e ficar encarando os boys pelados no vestiário. Com doze anos minha irmã gêmea descobriu um monte de fotos da G magazine na memoria do computador. Ela queria contar pra minha mãe e me levar numa psicóloga. E eu inventei que as fotos era por causa de um vírus que peguei no Mirc (lembra das salas de bate-papos do mirc?). Ela acreditou. No inicio eu não aceitava muito bem, escrevia muito sobre esses medos num diário. Minhas irmãs leram o diário e uma vez, já mais mocinho, quinze anos, num papo sobre parada gay com a minha mãe eu tomei as dores das gays. E ela questionou porque eu defendia tantos os “vinhados”. E eu falei “Eu gosto de meninos” rolou um draminha durante umas semanas, mas logo passou. 

Ah, antes de assumir pra minha mãe, eu assumi minha bichice pra minha irmã gêmea que, pra minha surpresa, se assumiu lesbica pra mim. E eu era amigo da namorada virtual dela. Depois de um tempo ela pediu pra eu contar – arrancar ela do armário – para minha mãe que, desta vez , chorou rindo sentada no vaso sanitário fazendo xixi. Senti um leve desconserto na família no inicio, meu irmão pediu pra eu deixar de ser gay, pelo menos, até os 18 aninhos. Meu pai me excomungou, colocou uma pastora falar no telefone comigo para expulsar os demônios da viadagem, porem não obteve sucesso. Fiquei quase oito anos sem falar com ele. Agora somos amigos.. Minha família é gigante, eu precisaria de um outro super texto pra contar. Tenho sete irmãos, somos oito no total, tudo por parte de pai e seus três casamentos 
Hoje em dia estou muito bem resolvido com a minha sexualidade e minha família também, inclusive meu pai e meus irmãozinhos evangélicos, glória três vezes!

tumblr_nao5egKTMb1tgsu1oo1_500.gif

Me dá umas aulas de teatro, professor Alan?


Deve ser bom ter essa autonomia no trabalho, poder fazer o serviço no conforto de casa. Você tem os finais de semana de folga? O foda de passar muito tempo em casa, pra nós, maconheiros, é fumar maconha por demais. Eu bolo uns sete cigarros por dia. Eu acho muito, misturo com tabaco, mesmo assim é muita maconha.

Que orgulho você ter lançado o livro. Eu lembro na época você postando no seu blog, eu já estava bem desanimado com o meu e com as minhas inúmeras tentativas de escrever um livro, e quando vi que o mocinho da comunidade da “Analisando Alanis Morissette” no orkut ia publicar um livro com textos do blog,  acabei me inspirando pra continuar com esse “sonho”. Que parece ser bobo as vezes, e como você disse, como profissão, se ganha muito pouco, mesmo assim da vontade de ter os textos em forma física, com cheiro de livro novo  e o seu nome estampado na capa. Ahhhhhhh! (quando você comentou no meu blog eu tive uma reação meio de fã, sem mentira, tipo, “um autor publicado gostou das coisinhas que eu escrevo”.) Fez meu dia naquele dia.

Sobre a Inglaterra

dsc_0727

Morar aqui foi uma tortura na adolescência e um grande prazer agora. Principalmente por ter saído de Londres, aonde morei por quatro anos. A cidade é linda e se tem acesso a tudo.  Fui em inúmeros shows e concertos clássicos. Todas as peças famosas de teatro passa por Londres uma vez ou outra. No entanto eu não suporto lugares lotados e pessoas amontoadas em todos os cantos da cidade. Prefiro só fazer turismo lá. O bairro de Soho é um bafo, parece um episódio ao vivo de Rupaul, com muito mais putaria. Camden Town é o lugar mais legal em Londres, pelo menos pra mim. Um dia você vem aqui conhecer. Deixa seus gatos fazendo turismo aqui com a Vênus e a gente pega um trem pra Londres. Moro no interior, King’s Lynn, voltei para a cidade que odiei por tantos anos e amo ter voltado. Ter mais contato com a natureza, ver patos, gansos, faisões, veados, coelhos invadindo as estradas na primavera. Fiz amizade com uma raposa e ontem um velório para uma abelha que tentei salvar e não consegui =(. 

frankie.png

Meu texto vai ficar enorme, acho que falei demais sobre mim, preciso dum banho! Não se espante, please. Gosto dessa sensação de receber e responder cartas. Fazia isso com meus amigos do Brasil quando era adolescente.

E se você conseguir responder tudo isso aqui e sobrar tempo, me conte mais sobre você. Sobre as origens da sua viadagem. Sobre estar mais ligado com a família. Você tem irmãos? Qual seu signo? Coisas assim.

Um beijo grande. xxxx

 

Anúncios

Leopoldina, 04/08/2016

Oi Saulo, 🙂

OBS: Resolvi criar uma playlist pra você escutar enquanto lê. São músicas que me vieram nesses últimos tempos ou que possuem relação com esse presente momento.

INTRODUÇÃO BREVE DISSO TUDO: Sobre a resposta, eu acabei perdendo o que havia escrito no messenger… escrevi tanta coisa e acabei perdendo tudo. Daí comecei a digitar no word, pra não perder. Foi ficando grande (desculpa). Mas também percebi que no word eu poderia ilustrar algumas coisas que eu poderia escrever. Daí a minha resposta meio que se transformou numa carta. Espero que não tenha problema, rs. Mas você não é obrigado a responder, tudo bem? Mas se você quiser, eu pensei numa coisa. Só se você quiser, porque não precisa querer. Mas se você quiser, pode me responder nessa mesma carta. Lá no final dela, com ilustrações também, das coisas que você pode querer me contar e mostrar. Você mora aí num lugar tão diferente, deve ter uns trem bom pra mostrar.

Enfim, a resposta da sua resposta:

Sempre quis ter, do fundo do coração, uma casa com quintal. Ou jardim. Cheguei a escrever um texto que falo sobre esse sentimento. E hoje em dia eu tenho uma casa com quintal. Faz 6 meses que retornei pra minas, moro em Leopoldina, cidade onde nasci e fiquei até os 18/19. Deus tem sido muito bom comigo. Eu amo Deus, me relaciono com ele o tempo todo. Agradeço muito. (Sou umbandista). Em 3 meses aluguei minha casa, com um quintal grande, enorme! Um quintalzão. É uma graça aqui, porque é um porão, na verdade. É como se fosse, sei lá, não sei explicar. É uma casa reservada, espaçosa, um antigo porão reformado. Daí ajeitaram o quintal bem ajeitadinho. Ele é coberto de pedrinhas cinzas.  Por baixo mora a magia. Fica uma terra cor de barro boa e saudável. É só cavar e plantar. Bate sol e circula ar na casa toda. Os meninos tomam sol, brincam. Faz duas semanas que comecei a mexer na horta. Fiz 5 canteiros, coloquei grade direitinho, plantei: salsinha, cebolinha, alecrim, boldo, erva cidreira, salvia, alho, hortelã, hortelã-pimenta, pimentão, cenoura, couve, bertália, coentro. Tá nascendo e é tudo vida. Converso com todas as plantas, tenho uma samambaia tão maravilhosa. Acordo de manhã e tomo café com ela, trocamos olhares de amor. Maria Carlota. E é verdinha verdinha, com cachos longos cheio de folhas. Trem lindo.

1.png

Foto: Todo mundo junto, inclusive Maria Carlota. A flor do meio, vermelha, é nova, estou pensando num nome ainda. Mas já trocamos diversos olhares. Estamos nos conhecendo.

Meus gatos tem nome de gente sim, rs. Sempre achei bacana. Chamar por nome de gente. Eles atendem direitinho. Eu chamo baixinho “juliana”, ela pode estar onde está, vem na hora me encontrar. Meus gatos são meus melhores amigos, minhas maiores conquistas, meus melhores presentes, que ganhei de cidades que em que já morei.

O Samuel é o mais velho, nasceu em novembro de 2010. Adotei quando morava em Ouro Preto. Já passamos por tanta coisa. Já nos mudamos tantas vezes. Meu carinho, como me ama.

2

Foto: Samuel, também conhecido como Sassá e/ou Sarassassá.

Eduardo adotei quando mudei pra Juiz de Fora, pra fazer companhia com Samuel. Foi a melhor coisa. Eles ficaram companheiros desde o primeiro dia. Eduardo é um gato brisado e espiritualizado, médium. E manco. Se acidentou certa vez em São Paulo. Mancou-se para sempre.

3

Foto: Eduardo, também conhecido como Dudu e/ou Durududu.

Juju nasceu em SP, meu presentinho. De 5 filhotes, era a que eu queria e a única que não foi adotada. Meu presentinho. Tá aqui do meu ladinho agora.

3

Foto: Juliana (também conhecida como Juju e/ou Jurujuju e/ou Jujubalândia agarrada no Durududu.

VIDEOGAYMEEEE

Eu falava sobre Perfect Dark na última mensagem no messenger. Perfect Dark é um jogo em primeira pessoa, de tiro, futurista, apesar de eu ter um pouco de preguiças com coisas futuras (nada contra você, que se encontra no meu futuro). Mas o jogo, apesar de científico, é muito bom, tem que ter estratégia e boa pontaria.

4.png

Foto: aaaaaahhhhh relembrar esse cenário! ❤

Era um gráfico muito realista pra época. Esse cenário aí da foto, nossa, emoção rever. Jogo de tiro eu costumo me dar bem, mas sempre fico bastante tenso. Na época eu mal saía do lugar, perdia horas escondido atrás da planta ou do sofá matutando uma estratégia.

Atualmente estou jogando Saints Row IV, para o xbox 360. Veio gratuitamente certa vez para assinantes live gold. Baixei, mas demorei a abrir o jogo, achei que seria meio genérico de gta. Mas dobrei minha língua. O jogo é muito mais divertido que GTA, muito bom para jogar brisado. O personagem tem diversos poderes, DIVERSOS, e ele literalmente danifica tudo ao seu redor, com as armas insanas! O jogo é bem grande, de mundo aberto cheio de missões, quests e challengs. Minha meta é atingir os 100%, sem cheats, claro. 

Olha essa arminha, que genial, a DUBSTEP GUN!

PUT YOUR FACE IN THE SUN, MONA

Como que foi sua mãe descobrindo sua viadagem? Como que foi pra você descobrir sua viadagem?

4.png

Foto: sim com certeza

Eu sou formado em artes cênicas, professor de teatro. E também sou analista de projetos culturais e desportivos. O primeiro (professor de teatro), é minha paixão. O segundo (projetos) é aprendizado que ganhei da vida. São coisas distintas. Meu emprego principal é o de analista. É trabalho burocrático. Escrever projetos, realizar a gestão deles, em todos os sentidos. Eu faço projeto para as pessoas viabilizarem as artes delas. Só agora que voltei a pensar e a viabilizar as minhas artes também, por ter voltado pra Minas.

Eu estava em São Paulo, a parte recém-dolorida da minha vida, uma sequência de frustrações e crescimento, apesar dos pesares. Fiquei um tempo sem dar aula. Agora, semana que vem, vou voltar. Por isso que eu agradeço muito a Deus. A vida se ajeita rapidinho, quando se busca mudança.

4

Foto: #amém #deus

MEU TRAMPO

Eu trabalho com projetos desde 2013, via homeoffice, mas para uma empresa de Belo Horizonte. Tenho chefe, carga-horária, trabalho no computador, via email, ferramentas do google docs e agenda, skype, facebook, telefone. É massa, eu e meu chefe, à distância, conseguimos manter uma empresa juntos, com demandas constantes.

Semana que vem começo à dar aulas de teatro, na escola em que me formei, 9 anos atrás. Montei uma turminha. As aulas serão todas as sextas-feiras, de 17h às 19h. Estou bem animado e feliz, será um desafio. A educação e os processos educativos-criativos devem, necessariamente, serem desafiadores.

Sobre lançar um livro: foi parir um filho. Gosto muito de escrever, mas não me considero escritor. Escrever é consequência. Eu sou muito quieto, Saulo. Quieto sobre as coisas em si. Penso muito comigo e também não tenho tanta gente para poder conversar. Daí acumulo pensamentos e escrevo, conversando comigo mesmo. Você sabe como que é. 

Então, o “Caligrafia de Asfalto” foi uma gestação longa de mais de 4 anos. Pari diversos sentimentos em forma de contos e textos, muitas vivências e experiências narradas ali, metaforicamente ou na presença de personagens. Aproveito pra enaltecer meu singelo livrinho que completa 4 anos agora em outubro.

caligrafiadeasfalto-web

Caligrafia de Asfalto, Editora Multifoco, Rio de Janeiro, 2012

O QUE EU GOSTARIA DE SABER SOBRE VOCÊ~ tantas coisas…

Eu queria saber como que é viver aí. Como é a sua vida? Me conta alguma coisa que você ache significativo e gostaria de compartilhar, sendo coisa boa, ou coisa ruim.

PS: Desculpa escrever textão. A gente nem se conhece direito. Por isso mesmo é válido um textão, com ilustração.

Um beijo,

Alan.

PSS: Aqui são 20h28 de 04/08, então aí são 00h28 do dia 05/08. Que curioso escrever para alguém que se encontra, neste momento, no meu dia seguinte.

PRÓLOGO: O TRATADO DAS COINCIDÊNCIAS

O TRATADO GERAL DAS COINCIDÊNCIAS

De fato, menos importam as coincidências. Trata-se do TEMPO. Das coisas. Do tempo em que as coisas levam para serem paridas. E amadurecidas. Dos MOVIMENTOS. Da VIDA. E das CONSEQUÊNCIAS.

As COINCIDÊNCIAS seriam CONSEQUÊNCIAS de processos de desenvolvimento humano – pessoais e coletivos – E/OU as CONSEQUÊNCIAS seriam COINCIDÊNCIAS destes MESMOS processos evolutivos humanos, regidos por PULSAÇÕES DE ENERGIAS?

Vejam a SERPENTE, que rasteja ondulando. E periodicamente trocando de pele. De TEMPOS em TEMPOS.

Na mitologia, a Serpente representa a força maior do universo: A ENERGIA, a transformação,  renovação.

IMG_20160817_011405194.jpg

Como a serpente, a energia assume todas as formas possíveis. Comparável àquele animal que se “transforma” ou “renova”, ao mudar a pele (a sua forma externa), também a energia se transforma: qualquer gesto do corpo vivo, desde o levantar de um peso até o mero ato de raciocinar, gasta energia; o estudo bioquímico do metabolismo mede-lhe a intensidade e o ritmo. Força, por definição, é energia aplicada! E, como a ondulação da serpente, também a energia pode ser representada como uma pulsação, um ritmo ou vibração constante. (WEIL; TOMPAKOW, p.97, 1973).

Agora vejamos o SOM. Que é uma ONDA; uma vibração transmitida para a atmosfera “sob a forma de uma propagação ondulatória, que o nosso ouvido é capaz de captá-la. […] Representar o SOM como uma ONDA significa que ele ocorre no TEMPO sob a forma de uma PE-RIO-DI-CI-DA-DE”. (WISNIK, p. 17, 1989)

onda

“Não há som sem pausa. O som é presença e ausência”.

O som é assim, o movimento em sua complementaridade, inscrita na sua forma oscilatória. Essa forma permite a muitas culturas pensá-lo como modelo de uma essência universal que seria regida pelo movimento permanente. O círculo do Tao, por exemplo, que contém o ímpeto yang e o repouso yin, é um recorte da mesma onda que costumamos tomar, analogicamente, como representação do som. (WISNIK, p.18, 1989).

Screenshot

A onda sonora é um sinal oscilante e recorrente, que retorna por período (repetindo certos padrões no tempo). Isto quer dizer que, no caso do som, um sinal nunca está só: ele é a marca de uma propagação, irradiação de frequência. […] A onda sonora obedece à um pulso, ela segue o princípio da pulsação. (WISNIK, p.19, 1989).

Assim como vimos no caso da SERPENTE, que se transforma, o SOM é periodicamente renovado. Entre pulsos e períodos, o som é um grande silêncio que, de tempos em tempos, interrompe-se ou é interrompido. Para então renovar-se.

Nas religiões de matrizes africanas, Oxumaré é Orixá da renovação. Representado pela cobra e pelo arco-iris, o Orixá é símbolo da continuidade e da permanência. Oxumaré rege os princípios das multiplicidades da vida, os caminhos e destinos.

cobra

A cobra de Oxumaré morde o próprio rabo. Princípio da continuidade do movimento.

Vimos, até aqui, as simbologias que determinam as EVOLUÇÕES da espécie. Que dão-se através da passagem do TEMPO. Sempre em MOVIMENTO.

IMG_20160817_020219908_HDR.jpg

O símbolo da serpente é comumente ligado à transcendência por ela ser, tradicionalmente, uma criatura do mundo subterrâneo – portanto um “mediador” entre dois modos de vida. (JUNG, p. 199, 2008).

Para Jung, estes são os símbolos de TRANSCENDÊNCIA.

Um outro tipo de simbolismo que faz parte das tradições sagradas mais antigas e que está também ligado aos períodos de transição da vida humana. Esses símbolos […] relacionam-se com a necessidade que o homem tem de se libertar de qualquer estado de imaturidade demasiadamente rígido ou categórico. Em outras palavras, esses símbolos dizem respeito à libertação do homem – ou à sua transcendência – de qualquer forma de vida restritiva, no curso da sua progressão para um estágio superior ou mais amadurecido de sua evolução. (JUNG, p. 195, 2008).

Talvez seja essa um dos SENTIDOS que queremos aqui expressar. Sentido  das COISAS. E das COINCIDÊNCIAS. Que nos fala à respeito do TEMPO. E suas CONSEQUÊNCIAS. O MOVIMENTO do TEMPO, o TEMPO do MOVIMENTO. A TRANSCENDÊNCIA. Nossa constante urgência de entendimento e esclarecimento das coisas. AMADURECIMENTO. CONHECIMENTO. RECONHECIMENTO. De nosso processo evolutivo.

O SOM entra em PAUSA. O TRATADO GERAL DAS COINCIDÊNCIAS TERMINA AGORA. MAS NÃO ACABA AGORA. Agora vem o TEMPO. Para NOS MOVIMENTAR.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

JUNG, Carl Gustav; FREEMAN, John; VON FRAZ, M. L.; HENDERSON, Joseph L.; JACOBI, Jalande; JAFFÉ, Àniela. O Homem e Seus Símbolos. Tradução de Maria Lúcia Pinho. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008. 448 p

WISNIK, José Miguel. O Som e o Sentido – uma outra história das músicas. São Paulo. Companhia das Letras, 1989.

WEIL, Pierre; TOMPAKOW Roland. O Corpo fala – a linguagem silenciosa da comunicação não verbal.